Saiba mais sobre a Hidrolipoclasia

Preenchimento cutâneo para rugas e sulcos profundos
15 de Janeiro de 2016
Massagem Vibrocell: como funciona?
27 de Janeiro de 2016
Mostrar todos

Saiba mais sobre a Hidrolipoclasia

A pessoa malha, faz dieta, controla a massa corporal e ainda tem aquela gordurinha irritante e persistente, aquela dobrinha que não desaparece. O que fazer? Uma das alternativas para tentar acabar com esse incômodo é a hidrolipoclasia, procedimento em que se injeta, em uma área determinada, uma solução composta de soro fisiológico e água destilada, associando-se a isto, uma sessão de ultrassom, onde a vibração mecância promove a agitação e rompimento das células de gordura, que são drenadas pelo próprio organismo.

A indicação é para pessoas com baixo IMC e gordura corporal, que estejam fazendo atividade física e que tenham uma dieta que favoreça os resultados do tratamento, não se trata de uma técnica de emagrecimento, assemelhando-se muito mais a um procedimento para esculpir algumas áreas do corpo.

A técnica parece simples, mas requer conhecimentos e prática na aplicação das substâncias. Nas primeiras sessões utiliza-se uma solução com uma proporção maior de soro fisiológico, até chegar-se em uma proporção igual de ambas as substâncias, para que a pessoa possa se acostumar com o eventual desconforto.

Pode-se também acrescentar substâncias anestésicas e medicamentos que tenham efeito de lipólise, a chamada Hidrolipoclasia ativada. A aplicação pode ser feita em ambiente clínico, mas requer cuidados com assepsia e com campo estéril para evitar o risco de infecções.

Como já foi mencionado, logo após a aplicação das substâncias, o protocolo indica a aplicação de uma sessão de ultrassom de alta potência, com a finalidade de acelerar a quebra das moléculas de gordura sendo que, ao aparelho ainda podemos associar uma corrente elétrica para que se consiga uma otimização dos resultados. Outra opção bastante utilizada é a associação de sessões de radiofrequência, um equipamento que emite ondas de som que são transformadas em calor na profundidade, tratando não só a gordura localizada, como também, a flacidez de pele. No dia seguinte ou até 72 horas após o procedimento indicamos uma drenagem linfática leve, que acelera o processo de eliminação da gordura pelo organismo promovendo uma lipoescultura manual da região tratada. A drenagem também tem a finalidade de evitar a ocorrência de nódulos e aderências e reduzir eventuais hematomas.

Como todo procedimento médico a resposta de cada paciente é muito diversa, dependendo inclusive do tipo de tecido adiposo da pessoa. Um número de 5 a 10 sessões normalmente é indicado para os primeiros resultados. O procedimento tem uma recuperação bastante tranquila, podendo apresentar alguns hematomas, inchaço e sensação de dor, e podem perdurar durante o tratamento, já que a recomendação é que as sessões sejam feitas de forma continua. “Sempre recomendo que a pessoa beba muito líquido para acelerar o processo de eliminação de gordura pelo organismo. Além disto, o paciente não deve descuidar da sua rotina de exercícios e tampouco de sua dieta equilibrada, para que os resultados não se percam”, enfatiza Fernando Bezerra, dermatologista.

Lembrando que este não é um método de emagrecimento, ele é indicado para a eliminação de pequenas quantidades de gordura localizada, em pessoas que praticam exercícios com regularidade e tem uma dieta equilibrada, mas que não conseguem eliminar gordurinhas específicas.

A indicação para um protocolo de Hidrolipoclasia deve ser feita por um médico especialista, e um dos fatores a ser considerados é a quantidade de gordura a eliminar, a tolerância à dor e a resposta ao tratamento. Existem também outras alternativas para pessoas que buscam a perda de gordura localizada, inclusive menos invasivas, que podem também trazer excelentes resultados. Converse com seu médico.

Fernando Bezerra é especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Pós Graduado em Medicina Estética pela Sociedade Brasileira de Medicina Estética, Membro da Associação Paulista de Medicina, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica