Manthus : saiba mais sobre essa tecnologia

Laserterapia é o que há de mais moderno em tricoterapias e tratamentos
19 de maio de 2015
O que é a Carbox ?
19 de maio de 2015
Mostrar todos

Manthus : saiba mais sobre essa tecnologia

“O nome MANTHUS é uma composição de MANTA (arraia gigante que envolve sua presa e dispara uma descarga elétrica letal) e HUS (hidrolipoclasia ultra-sônica)”.

Para que serve o MANTHUS?

Com tecnologia nacional e manuseio extremamente simples e seguro, o MANTHUS combate a celulite e a gordura localizada de forma realmente efetiva e produz resultados desde a primeira sessão, com perda de medidas que varia de 2 a 8 cm. No entanto, é importante lembrar que o efeito varia de acordo com o biótipo de cada pessoa, seu metabolismo, alimentação e hábitos de vida. Para aperfeiçoar os resultados é indicado conjugar ao tratamento dieta e exercícios físicos.

 

Em que ele é diferente dos outros aparelhos para celulite?

O grande diferencial dessa terapia é o exclusivo cabeçote tripolar com três emissores sincronizados e controlados pelo computador que combina correntes estéreo- dinâmicas (eletrolipoforese) com ultra-som, permitindo um tempo de terapia mais curto em áreas mais extensas e com doses extremamente estáveis.

O Manthus age profundamente nas áreas tratadas, pois seu mecanismo combina ultra-som, corrente elétrica e eletroporação. O ultra-som promove, através da micro-agitação mecânica, a transformação da gordura estocada no adipócito em partículas finas e o seu efluxo para o tecido conjuntivo circundante, sem a quebra da membrana celular, fazendo com que essa seja captada pelos micro-vasos linfáticos e seja eliminada através do suor, da urina e das fezes. A corrente elétrica potencializa a ação do sistema linfático em até quatro vezes, enquanto que a eletroporação, através de ondas eletromagnéticas, abre os poros e permite que os ativos (para celulite, gordura localizada e flacidez) realmente cheguem ao interior da célula, sem a utilização de agulhas.

Ele só trata celulite?

Além do tratamento para gordura localizada e celulite, o aparelho mostra-se eficaz para retirar cicatrizes internas, as fibroses residuais. A sensação de incômodo causada pela ondulação acentuada das fibroses pode ser minimizada e, dependendo do caso, desfeita pela ação do Manthus, pois o ultra-som pulsado age na formação de fibras de colágeno mais finas.

No pós–operatório, o Manthus mostra-se uma alternativa para aumentar a velocidade de reabsorção de hematomas e prevenir a ocorrência de aderência, além de participar efetivamente no processo de cicatrização, pois aumenta o transporte de íons cálcio, que inicia a degranulação dos mastócitos, a liberação de histaminas e outros agentes quimiotáxicos, os quais promovem, além da cicatrização, a remoção do coágulo.

Sua aplicação é dolorida?

O tratamento é indolor.

Como é feito? 

A sessão consiste em vinte minutos de exposição ao ultra-som. Esse tempo deve ser respeitado para evitar penetração excessiva das ondas e dos produtos; se esse período for aumentado, a pessoa corre o risco de sofrer efeitos secundários, como stress, redução do nível de glicose no sangue, fadiga, irritação e anorexia. No entanto, o tratamento pode ser complementado com as outras funções do aparelho, como a drenagem que não utiliza a função ultra-sônica.

O aparelho pode ser aplicado na região do abdome, culotes, pernas, glúteos, braços e dorso e é indicado para o combate da celulite, redução significativa da gordura localizada, reabsorção de hematomas pós-cirúrgicos, abrandamento de aderências, tratamentos com fonoforese e iontoforese (introdução de princípios ativos) e está contra-indicado para crianças, gestantes, hipertensos ou diabéticos descompensados, para pessoas que possuam alteração de sensibilidade no local da aplicação e problemas vasculares (trombose venosa e tecidos isquêmicos), na presença de tumores malignos ou infecções e para portadores de marca-passo e implantes metálicos.

Para o tratamento ser realizado, é necessário uma avaliação minuciosa, na qual serão estabelecidos os objetivos a serem atingidos e da qual serão extraídos dados para adequação e personalização do tratamento para o cliente (grau de celulite, espessura de camada adiposa, medidas antropométricas, identificação de flacidez, dentre outros). A partir desses dados, é desenvolvido um programa de tratamento específico.

O método consiste basicamente na aplicação de um gel condutor que facilita o deslocamento do cabeçote na superfície corporal e conduz suas ondas, podendo esse conter substâncias naturais que desempenham funções lipolíticas (agem na quebra de gordura), como a cafeína, ou ainda substâncias que atuem na flacidez, no caso do DMAE (Dimetilaminoetanol). O aparelho é passado lentamente na área pré- estabelecida, de forma contínua e uniforme, através de movimentos circulares ou através de movimentos curtos de poucos centímetros que se sobrepõem com a finalidade de assegurar a uniformidade da área, sendo aconselhável complementá-lo com a drenagem linfática.

Quantas sessões são necessárias?

Inicialmente, é recomendado um programa de dez sessões para que se possa visualizar seu efeito, podendo ser, então, reiniciado depois de uma pausa de 10 dias, caso seja necessário.

É indicada a manutenção, após o alcance do objetivo, a cada 15 dias durante 3 meses para que o organismo se adapte ao novo modelo de corpo.

 

Fonte: daureamachado.com.br