Laser CO2 fracionado: prós e contras do tratamento que elimina rugas e manchas da pele

Conheça a Carboxiterapia: combate estria, celulite e gordura localizada
25 de abril de 2016
Depilação a laser: tire todas as suas dúvidas
9 de maio de 2016
Mostrar todos

Laser CO2 fracionado: prós e contras do tratamento que elimina rugas e manchas da pele

O laser CO2 é um ablasivo, ou seja, que provoca uma queimadura na pele, que ao cicatrizar, estimula a produção de colágeno e também uma retração da pele, causando esticamento e melhora das rugas finas. Porém, como seu alvo é a água, não há tanto risco que ele atinja a derme, se concentrando na epiderme (camada mais superficial da pele). Resumindo, ele remove camadas inteiras da pele, em uma profundida programada por quem o está operando.

Porém, como sua recuperação é muito lenta, afinal uma área grande de pele é lesionada, e a chance de causar manchas é muito maior, criaram a tecnologia do laser CO2 fracionado, em que o raio único é dividido em diversos microrraios, atingindo a pele mais profundamente e em regiões menores. Dessa forma, ele faz pequenas lesões, deixando microáreas de pele intactas misturadas com áreas em que o laser atuou, causando menos agressão à pele e trazendo uma recuperação muito mais rápida.

O laser CO2 fracionado é indicado para pessoas que buscam rejuvenescimento da pele, remoção de cicatrizes em geral (como de acne) e estrias, ou o fim da flacidez. Ele é excelente para rugas, pois consegue atingir diversas superfícies da pele, nivelando sua estrutura. Além disso, como o laser CO2 total, ele estimula a produção de colágeno nas áreas em que agride a pele, dando a elas uma aparência mais jovem.

Esse pode ser usado em cirurgias estéticas, como na ninfoplastia (cirurgia íntima, que muda o aspecto da vulva) e blefaroplastia a laser (cirurgia de correção de bolsas nos olhos e pálpebras).

Esse aparelho também tem usos terapêuticos, como em ceratoses seborreicas (pintas benignas) e ceratoses actínicas (lesões pré-malignas). Também pode ser usado em verrugas virais e manchas e para melhorar o aspecto de cicatrizes cirúrgicas, inclusive queloideanas, estrias atróficas e outras lesões de pele.

O tratamento é necessariamente em consultório. Algumas vezes usam-se cremes anestésicos na região que será tratado trinta minutos antes, para que façam efeito até o momento da aplicação do laser. Os olhos do paciente são protegidos e a sessão começa. Trata-se a pele de forma completa, não deixando nenhuma área sem tratar.

Por se tratar de um laser ablasivo, ou seja, que pode provocar danos na pele, o ideal é que o procedimento seja feito por um médico dermatologista ou cirurgião plástico, que saberão manejar melhor essa tecnologia.

Algumas vezes é necessário fazer um tratamento preventivo com seu dermatologista para herpes e bactérias sete dias antes da aplicação do laser. Antes da sessão, a pele precisa estar complete limpa e desengordurada. Também é importante que a pele não esteja bronzeada. Já o uso de ácidos e cremes é permitido até 2 dias antes do procedimento.

É muito comum o paciente apresentar eritema (ou seja, vermelhidão) e inchaço na pele após o uso do laser CO2 fracionado. O edema pode durar até 15 dias, enquanto a cor vermelha pode durar até 45 dias. Por isso mesmo, pode-se fazer o uso de LED para melhor cicatrização e mais rápida recuperação. É comum também o uso de cremes prescritos pelo médico.

Como a pele está mais sensível, não se deve esquecer o uso do protetor solar rotineiramente, com fator mínimo de proteção 30 que deve ser reaplicado a cada 3 horas.

O procedimento não é indicado para grávidas, já que não há estudos que comprovem a segurança para elas.

Alie o laser CO2 fracionado com…

Alimentação rica em proteínas: As proteínas de alto valor biológico ajudam a estimular a formação de colágeno na pele.

Proteção solar diária: Usar protetor com FPS acima de 30 ajuda a minimizar os efeitos da radiação solar na pele, que pode causar envelhecimento e manchas, além decâncer de pele!

Parar de fumar: O cigarro entope os micro vasinhos da pele, o que diminui o aporte de oxigênio e nutrientes e a consequente diminuição da vida das células que produzem as fibras colágenas.

Botox: A toxina butolínica aliada ao CO2 total causa um efeito lifting na pele, aumentando muito o rejuvenescimento, principalmente na área dos olhos.

Preenchimento com ácido hialurônico: Ambos os tratamentos auxiliam na suavização de rugas mais profundas da pele.

Luz intensa pulsada: Auxília o laser CO2 na redução de manchas na pele com mais eficiência.

LED: Após o tratamento com o laser CO2, ele ajuda na diminuição da vermelhidão da pele e de outros problemas.

Ácido retinóico: Cremes com esse ácido na composição ajudam a preparar a pele para o procedimento e podem potencializar resultados depois. Mas devem ser usado com indicação médica, já que também causam uma certa agressão na pele!

Fontes

http://www.minhavida.com.br/
Dermatologista Daniela Lemes (CRM-RJ 69.296), diretora médica da Slim Clinique
Dermatologista Cibele Caminha Tokarski (CRM-DF 8.894), do Departamento de Laser e Dermatologia do Hospital Daher
Dermatologista Cristiano Velasco (CRM-DF 13.730), do Departamento de Laser e Dermatologia do Hospital Daher
Dermatologista Isabel Martinez (CRM-SP 115.398), membro da Academia Americana de Laser e Cirurgia, da Academia Internacional de Dermatologia Cosmetologia e com atualização em Laser pela Universidade de Harvard
Dermatologista Abdo Salomão Junior (CRM-SP 91.536), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia
Dermatologista Valéria Campos (CRM-SP 73.176), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia